terça-feira, 25 de abril de 2017

Museu da Música Mecânica II

Como escrevi no post anterior, o Museu da Música Mecânica tem expostas à volta de 600 instrumentos musicais dos quais partilhei algumas fotografias.
Hoje  vou continuar a publicar mais algumas imagens imperdíveis.




















Obrigada pela sua presença. Volte sempre.






segunda-feira, 24 de abril de 2017

Múseu da Música Mecânica I

No âmbito dos  habituais encontros mensais de amigos,visitámos no passado Sábado o Museu da Música Mecânica.

Situado numa quinta, bem perto do Pinhal Novo, este  museu  inaugurado no dia 4 de Outubro de 2016, tem patente um valioso acervo de instrumentos musicais que, actualmente, fazem parte da História da Música, nomeadamente do período entre o século XIX e a década de 30 do Séc. XX.

Este museu particular, pertence a Luís Cangueiro, que nos guiou durante a visita, notando-se nele , um grande orgulho pelas peças que conseguiu coleccionar ao longo de trinta anos, algumas únicas em todo o mundo.
Os instrumentos vão desde as  caixas de música de cilindro de madeira às  grafonolas e todos eles ainda funcionam. Alguns para além do valor a nível musical são também belas espécies decorativas.

A quinta onde está implantado o Museu, está a ser dinamizada noutras valências que vão para além das visitas. Concertos e outros espectáculos, exposições, reuniões, festas e outros eventos poderão ser realizados no local, onde também servem refeições, desde que marcadas previamente. 

Esta é uma visita que recomendo vivamente, pois este  Museu é recente e ainda pouco divulgado. No entanto, devido ao extraordinário espólio exposto, merece a atenção de qualquer pessoa, tenha  ou não gosto musical.
É impossível para mim,  leiga na matéria, descrever a visita, uma vez que a exposição contém à volta de 600 instrumentos.
Eis algumas imagens.





Obrigada pela sua presença. Volte sempre.



sexta-feira, 21 de abril de 2017

Porque é fim de semana: Mestras e Relvas

Porque é fim de semana, vamos prosseguir  a descoberta das aldeias do concelho de Góis e da União  das Freguesias  de Cadafaz e Colmeal.
Vamos partir à descoberta de duas aldeias. 
 - Mestras

Não se conhece a origem desta povoação nem a razão do seu topónimo.
Conta a lenda que  o nome da povoação se deve a  duas irmãs, mestras em costura, que iam trabalhar para a aldeia. 
Outrora cheia de vida, atravessou um período em que esteve  completamente abandonada. 
Há alguns anos, vários antigos habitantes resolveram regressar e a vida, aos poucos, regressou à aldeia.

A padroeira da aldeia é Nossa Senhora da Boa Morte e na sua capela existe um Missal datado de 1734.
Abandonamos a aldeia de Mestras e seguimos para: 

- Relvas

Esta é uma aldeia totalmente desabitada.

A padroeira é Santa Luzia e a sua capela foi restaurada em meados do século XIX.



Obrigada pela sua presença. Volte sempre.










quinta-feira, 20 de abril de 2017

Mandalas em Areias Coloridas

Actualmente, os meus tempos livres estão a ser ocupados com trabalhos feitos com areias coloridas.
A minha filha pediu-me para lhe pintar umas mandalas e pensei em aplicar esta técnica, para lhe fazer uns quadros.
Nas imagens podem-se ver alguns já prontos e outros em andamento.
Neste momento, já estão expostos no quarto dela.






Obrigada pela sua presença. Volte sempre.










quarta-feira, 19 de abril de 2017

Almoço Convívio em Sobral Magro

Como já se tornou tradição, no passado Sábado, a Comissão de Melhoramentos de Sobral Magro levou a efeito mais um almoço-convívio.
Como vem sendo hábito, o almoço foi servido pelo Restaurante A Saborosa e registou uma boa afluência de sobralmagrenses e amigos de aldeias vizinhas.
Deste convívio são as imagens que se seguem.



Obrigada pela sua presença. Volte sempre.